Horários de Missas

Terça à Sexta, às 18h.
Sábado, às 16h.
Domingo, às 8h30,11h e 19h.

Mensagem do pároco › 05/09/2012

Jesus manifesta a verdadeira grandeza de Maria

Amados Paroquianos,

A celebração do dia da Assunção de Nossa Senhora, no último dia 15 de Agosto, me motivou a transcrever o que a exortação Apostólica de Bento XVI fala sobre Maria Santíssima. Em sua “Mater Verbi et Mater laetitiae” – Mãe do Verbo e Mãe da Alegria, Bento XVI diz que essa relação íntima entre a Palavra de Deus e a alegria aparece em evidência precisamente na Mãe de Deus. Recordemos as palavras de Santa Isabel: “Feliz aquela que acreditou, pois o que foi dito da parte do Senhor, será cumprido” (Lc 1,45). Maria é feliz porque tem fé, porque acreditou, e, nessa fé, acolheu no seu ventre o Verbo de Deus para dá-lo ao mundo.

A alegria recebida da Palavra pode agora estender-se a todos aqueles que na fé se deixam transformar pela Palavra de Deus. O Evangelho de Lucas apresenta-nos este mistério de escuta e de alegria, em dois textos. Jesus afirma: “Minha mãe e meus irmãos são aqueles que ouvem a palavra de Deus e a põem em prática” (Lc 8,21). E, em resposta à exclamação duma mulher que, do meio da multidão, pretende exaltar o ventre que o trouxe e o seio que o amamentou, Jesus revela o segredo da verdadeira alegria: “Diz antes: Felizes os que escutam a palavra de Deus e a põem em prática” (Lc 11,28). Jesus manifesta a verdadeira grandeza de Maria, abrindo assim também a cada um de nós a possibilidade daquela bem-aventurança que nasce da Palavra acolhida e posta em prática.

Por isso, recordo a todos os cristãos que o nosso relacionamento pessoal e comunitário com Deus depende do incremento da nossa familiaridade com a Palavra divina. Por fim, dirijo-me a todos os homens, mesmo a quantos se afastaram da Igreja, que abandonaram a fé ou que nunca ouviram o anúncio de salvação. O Senhor diz a cada um: “Eis que estou à porta e bato. Se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, entrarei em sua casa e cearei com ele, e ele comigo” (Ap 3,20).

Fonte: Adaptado da Exortação Apostólica Pós-Sinodal.
Documentos Pontifícios-6. 1ª Edição. Brasília: Edições CNBB, p. 8.

Fraterno abraço,
Cônego Dagoberto Boim